05 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
13/12/19 às 15h56 - Atualizado em 13/12/19 às 15h56

Boas práticas promovidas pelo CAPS Asa Norte beneficiam usuários

Uma parceria entre o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Asa Norte e o curso de Psicologia do Centro Universitário de Brasília (UniCeub) tem promovido, desde 2017, sessões de cinema aos usuários, familiares, estudantes e profissionais de saúde e da educação. A iniciativa faz parte do Projeto de Extensão CAPSine – Cinema, Saúde Mental e Universidade. As sessões ocorrem no Centro Universitário e, após o filme, profissionais de saúde, extensionistas e professores medeiam o debate com os usuários e suas famílias.

385

A importância do fortalecimento dos vínculos já existentes e a construção de novos vínculos pelos usuários são ressaltadas pela assistente social do CAPS Asa Norte, Carla Sene. Além da ocupação dos espaços da cidade. “Um dos nossos desafios na construção dos serviços substitutivos da reforma psiquiátrica é de fato ocupar o território do qual fazemos parte. E o CAPSine contribui para esse trabalho no território. Muitas vezes, vamos caminhando às sessões, ocupando os espaços do Plano Piloto, da universidade”, esclarece Carla.

De acordo com a administradora do Plano Piloto, Ilka Teodoro, “essas parcerias contribuem para a inclusão e promovem um debate importante sobre educação e saúde mental”, salientou.

Para o idealizador do projeto, o professor universitário e psicólogo Daniel Goulart, as sessões “oportunizam espaços de convivência profícuos na construção de vínculos e na geração de processos de sociabilidade, bem como reflexões sobre experiências de vida. Também temos uma parceria com o CAPS Taguatinga e as sessões ocorrem no outro campus com o mesmo objetivo de propiciar um encontro dialógico que prima pela qualidade das relações humanas construídas neste espaço”, explica Daniel.

O CAPS é uma unidade especializada em saúde mental cujo objetivo é substituir os hospitais psiquiátricos e promover o tratamento e reinserção social de pessoas com transtorno mental. Os usuários são atendidos por uma equipe multiprofissional que reúne psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais, entre outros especialistas.

O professor universitário Lucas Amaral, que também coordena o CAPSine, enfatiza a construção coletiva que é realizada, por cada um, ao seu modo, possibilitando uma ponte entre mundos.

Além do CAPS II, a Asa Norte conta com o CAPSi, destinado às crianças e aos adolescentes em sofrimento psíquico. As unidades oferecem serviços como acolhimento, atendimentos individuais e de equipe de referência, psiquiatria individual e em grupo e práticas integrativas em saúde.

Texto: Aldenora Moraes /Ascom – SEEDF

Fotos: Divulgação

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros