22 de maio

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
8/08/23 às 14h03 - Atualizado em 8/08/23 às 14h18

Licenciamento de empresas é tema de reunião conjunta entre a Administração e diversos órgãos do GDF, no Palácio do Buriti

COMPARTILHAR

A Administração do Plano Piloto se reuniu com diversos órgãos na manhã desta terça-feira (8), no Palácio do Buri, para tratar, primordialmente, da pauta de licenciamento de atividades e empresas no Plano Piloto. Participaram da reunião o Conselho de Políticas Públicas do GDF, representantes dos Correios,  Junta Comercial,  Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação do DF (Seduh)  e Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). 

O objetivo da reunião foi para discutir medidas que visem agilizar o processo de abertura e licenciamento de empresas, criando celeridade no processo. Na ocasião, foram ponderados assuntos como a promoção de políticas públicas, importância do georeferenciamento e a alimentação da base de endereçamento, de maneira conjunta e única.

Para o administrador do Plano Piloto um dos assuntos de grande importância é a questão do mapeamento de endereçamento. “É muito importante a interlocução entre os órgãos para efetivar as melhorias para essas questões”, disse o administrador.

“Qualquer alteração deveria ser feita com a consulta ao geoportal apenas à Seduh. Temos que chegar ao entendimento de que essa ferramenta é a mais importante para todos”, disse o consultor do Sebrae, Paulo Carvalho.

Roberto Nunes, da Gerência de Licenciamento da Administração falou sobre a questão da viabilidade de endereçamento no Plano Piloto.  “A gente ainda utiliza um método antigo de endereçamento. A grande dificuldade do empresário é que o sistema oferece um cep, que muitas vezes não coincide com o cep oficial e isso acaba gerando um problema”, ponderou. 

A proposta foi entender as dificuldades dos órgãos envolvidos e tentar criar maneiras de facilitar os processos. Na maior área tombada do Planeta o empresário que levava até 180 dias para abrir uma empresa hoje leva até 11horas, por meio da viabilidade automática e isso significa muita diferença na vida desses novos empresários. Os órgãos se comprometeram a criar mecanismos de melhorias em torno de todos os temas discutidos.

Texto: Daniela Uejo
Fotos: Emanuelle Sena

Mapa do site Dúvidas frequentes