20 de junho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
Maria da Penha ONLINE Governo do Distrito Federal
19/04/23 às 12h33 - Atualizado em 19/04/23 às 12h37

Praça do Compromisso passa a se chamar Praça Índio Pataxó Galdino Jesus dos Santos

COMPARTILHAR

Na manhã desta quarta-feira (19), dia em que é celebrado o dia dos Povos Indígenas, foi realizada a “Exposição Sociocultural de Arte Indígena Itinerante”, evento que reinaugurou a Praça do Compromisso, que passou a ser chamada de “Praça do Índio Pataxó Galdino Jesus dos Santos”, que homenageia o cacique da tribo Pataxó Hã-hã-Hãe Galdino, de 44 anos, que foi morto queimado por produtos inflamáveis, em uma parada de ônibus. 

A Praça recebeu emplacamento e sinalização, em conformidade com a Lei nº 3.309, de 19 de janeiro de 2004, além de totem turístico, próximo ao monumento doado pelo artista plástico Siron Franco, em homenagem ao indígena no ano de 1997.

Na ocasião, o administrador do Plano Piloto, Valdemar Medeiros ponderou sobre a importância da data e dos povos indígenas para a nação brasileira. “No passado este local foi marcado por um crime brutal e hoje virou um local de homenagens, esperança e lembranças. Nosso intuito é aproximar os povos e celebrar a diversidade cultural que há no Brasil, para promover a luta contra o preconceito, que ainda existe contra os povos indígenas”, disse. 

Para o diretor da União Nacional indígena (Uni), Turymatã Pataxó, da  Aldeia Mãe Barra Velha/ Bahia é motivo de alegria  ter uma praça representando o seu povo. “Podemos rememorar a luta pela terra. É uma alegria termos uma praça com o nome do nosso herói Pataxó. Este dia é também um ato de resistência. Esta data também serve para lembrar e refletir sobre como está a situação do povo indígena passados mais de 20 anos. Devemos levar a história pra frente, mas de modo geral, estou muito feliz de estar aqui. Galdino vive e resiste!!”, disse.

“Esse dia de hoje representa um reconhecimento do poder público, em relação à diversidade, a sociodiversidade que existe no país. São praticamente 300 etnias e talvez 280 línguas diferentes que existam no país. É um Brasil que o Brasil não reconhece. Este gesto do GDF representa o reconhecimento desse contingente de praticamente 1 milhão e meio de pessoas. Como Funai, agradecemos o GDF por este gesto de reconhecimento, na pessoa do índio Galdino”, disse o representante da Funai, José Augusto Lopes Pereira.

Estiveram presentes no evento o administrador regional do Plano Piloto, Valdemar Medeiros; o representante da Funai, José Augusto Lopes pereira; o diretor da Uni – União Nacional indígena, Turymatã Pataxó – Aldeia Mãe barra velha/ Bahia, Murian Pataxó, da Tribo Pataxó;  a presidente do Conselho Comunitário da Asa Sul (CCAS), Patrícia Carvalho Santos;  secretária de Políticas Públicas, Meire Mota, curador de arte e historiador, Cláudio Ferreira, representando Siron Franco (Artista autor da obra da Praça); deputado Fábio Coimbra, representando o deputado Eduardo Pedrosa; vice-presidente da Associação das quadras 700 sul, Márcio Guidaci.

Fotos: Emanuelle Sena/ ASCOM RA-PP
Texto: Daniela Uejo/ ASCOM RA-PP

 

Mapa do site Dúvidas frequentes