28 de novembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
14/04/21 às 16h48 - Atualizado em 15/04/21 às 16h50

GDF reduz transtorno provocado por chuvas na 402 Norte

COMPARTILHAR

Antes mesmo do término do atual período chuvoso e já pensando no próximo, o Governo do Distrito Federal iniciou obras para minimizar os transtornos enfrentados por moradores e comerciantes da Quadra 402 Norte, na Asa Norte, no Plano Piloto. Devido à declividade do terreno, essa quadra sofre constantemente com alagamentos.

Por isso, a Secretaria de Obras e Infraestrutura (SODF) e a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) iniciaram na área a construção de três ramais de 600 milímetros cada, totalizando 64 metros de novas redes de drenagem.

Também foram abertas 20 novas bocas de lobo e recuperadas 80 peças de meios-fios. Os serviços são executados próximo à rotatória que dá acesso ao Banco do Brasil.

“Cada uma dessas novas bocas de lobo são capazes de receber 70 litros de água por segundo, ou seja, a cada segundo 1.400 litros de água serão captados e redirecionados para as áreas verdes existentes na região”, explica o engenheiro Aldo Fernandes, subsecretário de Acompanhamento Ambiental e Políticas de Saneamento da SODF.

Segunda fase

De acordo com o subsecretário, a segunda fase das obras irá priorizar o uso das áreas verdes da região, além de complementar a estratégia de mitigação dos alagamentos nos trechos mais críticos.

“A recuperação das peças de meios-fios vai nos permitir o melhor direcionamento do percurso da água para que seja armazenada e absorvida pelas áreas verdes”, antecipa.

Essa é apenas a primeira etapa de uma série de pequenas obras que serão realizadas nesta área de Brasília.

“Essa fase se concentra na construção desses novos ramais, abertura de novas bocas lobo e recuperação dos meios fios. Na segunda fase, vamos construir novos dispositivos verdes de infiltração e detenção, construir ramais e abrir novas bocas de lobo no Setor Hospitalar Norte, próximo ao Hospital Regional da Asa Norte”, detalha o engenheiro Dyego Guerra, da SODF.

O diretor de Urbanização da Novacap, Sérgio Lemos, explica que os serviços são executados por mão de obra própria e por fuFncionários da empresa contratada para a manutenção da Asa Norte.

“Estamos investindo cerca de R$ 350 mil nessas obras. São ações pontuais que terão grande impacto na redução dos transtornos tradicionalmente enfrentados por comerciantes e moradores da região no período chuvoso”, afirma.

O que já foi feito

Em 2020, no período chuvoso, o GDF atuou na abertura de novas bocas de lobo e limpeza das já existentes, instalação de meios fios vazados,  melhoria das curvas de nível, rebaixamento dos gramados e melhor aproveitamento das áreas verdes existentes.

“Aumentamos a capacidade de infiltração das águas das chuvas e, mesmo com alguns transtornos ocasionados pelas fortes chuvas do mês de fevereiro, avalio que tivemos um resultado positivo”, explica o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

“Todas essas intervenções paliativas que a gente vem fazendo desde o ano passado não são as soluções definitivas para o problema. Mas, sem dúvida, vão minimizar os transtornos enfrentados pela população. A solução definitiva virá com o Águas do DF”, declara Carvalho.

Águas do DF

O projeto liderado pela Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap) prevê o investimento de R$ 100 milhões na construção de três canais e bacias de captação. A primeira etapa vai atender à área mais problemática da região central: o início da Asa Norte, cenário de recorrentes alagamentos e inundações. Por lá serão construídos 4,83 km de rede de drenagem entre as quadras com finais 1 e 2. O canal será capaz de receber as águas das chuvas de uma área de cerca de 9 quilômetros quadrados.

O projeto está em fase de finalização – análise de orçamento, elaboração do termo de referência e edital para lançar a licitação. “A construção da nova rede não será vista pela população, mas seu impacto positivo será sentido principalmente pelos moradores das quadras inferiores, que foram as mais afetadas pelos alagamentos”, afirma o presidente da Terracap, Izidio Santos.

*Com informações da Secretaria de Obras e Infraestrutura do DF

Mapa do site Dúvidas frequentes