25 de julho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
24/07/19 às 17h31 - Atualizado em 30/07/19 às 15h45

Servidores da Administração aprendem a fazer separação de resíduos para coleta seletiva

COMPARTILHAR

Nessa sexta-feira, 19/7, aconteceu no auditório da Administração do Plano Piloto uma formação para os servidores do órgão sobre coleta seletiva. No encontro, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU-DF) ensinou os servidores como fazer a separação dos resíduos nas categorias de recicláveis e orgânicos/rejeitos. A formação é o primeiro passo no processo de implantação da coleta seletiva na sede da Administração do Plano Piloto.

A Comissão Gestora da Coleta Seletiva Solidária na Administração Regional do Plano Piloto foi instituída em janeiro de 2019 para planejar, implantar, supervisionar e fazer o controle da coleta seletiva solidária no órgão. Wanda Marques, servidora da Coordenação de Desenvolvimento (Codes) foi designada como presidente da comissão e organizou o curso que faz parte da etapa de planejamento para implantação da política. “Nosso objetivo é servir de modelo para outros órgãos e também para a comunidade”, disse.

Formação

Luana Cristelli, Coordenadora de Educação Ambiental e Mobilização Social do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal, disse que 2,7 mil toneladas de resíduos são produzidas diariamente no DF. Luana explicou que é preciso ter dois sacos para fazer a separação dos resíduos. Um para materiais recicláveis e outro para orgânicos e rejeitos. O primeiro, de preferência da cor verde ou azul, é para os materiais recicláveis: papel, papelão, plástico, isopor e metal. O outro saco, de preferência preto ou cinza, é para o material orgânico e rejeitos: restos de comida, borra de café, fralda descartável, papéis gordurosos, lixos de banheiro e o vidro que, por enquanto, não é reciclado no DF devido ao custo do frete. Ela disse que é muito importante entregar os recicláveis para a coleta no dia certo.

A administradora Ilka Teodoro disse que já existem empresas no DF que fazem a coleta de vidro para reciclagem e a Administração busca parceria para implantar um ponto de coleta público na RA-I.

Participações

Amanda de Freitas Meirelles, Assessora Técnica da Subsecretaria de Gestão das Águas e Resíduos Sólidos e Coordenadora da Coleta Seletiva Solidária do DF da SEMA, participou do evento e apresentou um panorama da gestão de resíduos no Distrito Federal. A assessora disse que um volume grande de resíduos que poderiam ser reaproveitados é descartado diariamente. “Estamos jogando muita coisa que tem aproveitamento no lixo”, disse.

Luciene dos Santos Vélez, assessora técnica do SLU e integrante da coordenação do projeto Coleta Seletiva Solidária, falou que é necessário estabelecer metas e planejamento para alcançar melhorias nos índices de coleta seletiva no DF.

Bruno Marques Pereira, ouvidor do SLU mostrou informações sobre o funcionamento do órgão e suas competências. “Atualmente, o SLU conta com 25 funções em sua carta de serviços”, disse. Pintura de meio-fio, varrição de vias públicas, lavagem de monumentos, catação manual de papéis em áreas verdes, coleta de Animais Mortos, papa Lixo, papa Entulho são alguns dos serviços oferecidos pelo SLU além coleta convencional de Resíduos Sólidos Urbanos.

“O que vocês consideram lixo é matéria prima que mantém nossas famílias”, disse Lúcia Fernandes do Nascimento, catadora de materiais recicláveis, presidente da Associação Vencendo Obstáculos que também participou do evento.

Serviço

Para consultar se a sua região está contemplada pela coleta seletiva e verificar os dias e horários correspondentes, consulte o site do SLU http://www.slu.df.gov.br/ e clique na aba “coleta seletiva”.

Texto: Ana Luiza Santos, sob supervisão de Ramíla Moura

Fotos: Emanuelle Sena/ASCOM – Administração Regional do Plano Piloto

 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros