20 de junho

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
8/11/18 às 13h46 - Atualizado em 27/12/18 às 15h25

Novembro azul: “A vida não é um jogo”

COMPARTILHAR

A cultura de a mulher ir ao médico com maior frequência continua não sendo compartilhada pelos homens. Daí, muitas vezes, as doenças masculinas serem descobertas, mais tardiamente, tornando-se crônicas. É o caso do câncer de próstata, que deve ser descoberto a tempo de reverter sua gravidade.

O Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL) realiza, desde sua fundação, em 2008, iniciativas para promover a mudança de comportamento dos homens.

A ideia é que incorporem o hábito de consultar um médico e realizar os exames preventivos. “Nossa primeira campanha relacionada ao câncer de próstata foi batizada de Um Toque, Um Drible, em 2008”, afirma Marlene Oliveira, presidente do LAL. Foi ela, que em 2011, lançou o Novembro Azul no país, inspirada no movimento australiano Movember (Moustache/November, em livre tradução Bigode/Novembro) e a campanha internacional Outubro Rosa, para o câncer de mama.

Mesmo com as constantes campanhas de prevenção e alerta para a realização dos exames que podem detectar o câncer de próstata em estágio inicial, muitos homens com idade a partir de 45 anos ainda relutam em seguir as recomendações do rastreamento.

Desinformação e preconceito

O câncer de próstata é o tipo mais comum entre os homens brasileiros, atrás apenas do câncer de pele. Anualmente, o país registra cerca de 68 mil novos casos e 13 mil mortes causadas pelo tumor.  Falta de informação, preconceito e vergonha são algumas das razões que levam o público masculino a deixar de lado procedimentos simples, rápidos, indolores e fundamentais para identificar a doença em estágio inicial.

O tratamento para quem identifica precocemente o câncer de próstata chega a índice de cura de até 90%.

A presidente do LAL lembra que milhares de homens ainda deixam de realizar os exames preventivos por preconceito, por falta de informação ou pela correria do dia a dia.

Segundo ela, a participação e o apoio da mulher são muito relevantes porque é ela quem incentiva seu companheiro, seu pai, seu familiar ou seu amigo a fazerem seus exames preventivos. “Por este motivo, o Novembro Azul é um movimento que visa atingir a população de modo geral, mostrando como é importante cuidar da saúde”.

Ao longo dos anos, o Novembro Azul tornou-se uma ação de domínio público e passou a ser incorporada por outras ONGs, empresas privadas e pelo público, engajando milhões de pessoas. Hoje, é a maior campanha de combate ao câncer de próstata do Brasil.

A campanha é veiculada em diversos canais de TV aberta e por assinatura; emissoras de rádio; mídia impressa e mobiliário urbano. O tema da campanha, criada pela agencia 4/12, é “A vida não e um jogo”, associando a ele várias mensagens de incentivo para que os homens cuidem da saúde e façam os exames preventivos.

Fonte: Lado a Lado pela Vida

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros